Cultura e Entretenimento

Mistérios nunca solucionados na Grécia Antiga

As religiões de mistérios eram comuns na Antiguidade, a Grécia e o exemplo disto.

A Grécia Antiga é frequentemente vista como o berço da civilização ocidental. Também é creditada a fundação de algumas das primeiras instituições dedicadas à aquisição de conhecimento e, se isso não bastasse, Atenas é comumente considerada o berço da democracia.

Mas a extensão de tempo entre esta era e o mundo moderno significa que nem tudo sobre este período da antiguidade é realmente conhecido por nós hoje. Registros são perdidos, histórias ficam embelezadas e assim por diante. Aqui alguns mistérios sobre a Grécia antiga que ainda permanecem sem solução.

A autoria dos poemas de HomeroAcredita-se que Homero, o poeta creditado como autor de Ilíada e Odisseia, seja o primeiro autor grego conhecido. Mas ele continua sendo uma figura misteriosa em muitos aspectos, incluindo a questão de saber se ele foi ou não o único autor de uma das obras mais intimamente associadas a ele. Já foi aberta a hipótese de que Homero talvez não tenha sido o criador de Ilíada e Odisseia, devido a diferenças estilísticas entre os dois trabalhos, que alguns acreditam indicar autores diferentes.

Também se argumentou que, mesmo que Homero tenha originado os dois trabalhos de alguma forma, ainda é apropriado ver os poemas como empreendimentos coletivos, devido ao fato de que eles teriam sido inicialmente compostos por meio da fala, ao invés de serem escritos e comunicados através de vários oradores subsequentes, com prováveis elaborações durante esse processo.

Trilogia inacabada de PlatãoO mito da Atlântida se originou na obra de Platão, onde é mencionado em seus diálogos, Timeu e Crítias , como exemplo de uma civilização em contraponto à de Atenas, uma que eventualmente acaba em ruínas e afunda sob as ondas do Atlântico. Mas permanece o mistério de por que essas obras, projetadas para formar uma trilogia após a conclusão, foram finalmente abandonadas.

Platão não completou o Critias, o segundo diálogo, e nenhum registro pode ser encontrado dele ter embarcado no terceiro trabalho pretendido, que deveria ter sido intitulado Hermócrates. Ainda não se sabe por que Platão não concluiu essa trilogia pretendida. O resultado disso é que o trabalho que gerou tanta especulação sobre o assunto da Atlântida tornou-se uma fonte de mistério por si só, devido ao fato de o próprio filósofo nunca o ter concluído.

continua depois da publicidade


Curso de Pintura em Aquarela
Para quem ainda não conhece nada ou quem já é da área e quer aprimorar-se de forma avançada. Veja em detalhes neste site
https://www.mpsnet.net/G/606.html

O labirinto do MinotauroUm dos mitos gregos mais famosos certamente é o Minotauro, indivíduo aterrorizante que era meio touro e meio humano. A história conta que ele foi mantido preso dentro de um labirinto pelo rei Minos. Esse labirinto foi posteriormente especulado como uma estrutura que pode ter existido genuinamente e serviu de inspiração para o mito em questão.

O palácio da antiga cidade de Knossos, localizado na ilha grega de Creta, às vezes tem sido apontado como um local para o labirinto que pode ter inspirado esse mito, embora as escavações no local ainda não tenham revelado uma estrutura que corresponda à idéia. No entanto, pesquisas recentes também propuseram uma pedreira perto da cidade de Gortyn, a 32 km de Knossos, como um local alternativo possível.

O livro perdido de AristótelesA ''Poética'', de Aristóteles, é um texto importante na história da crítica literária, a primeira obra conhecida a analisar a arte de escrever. No entanto, é provável que uma parte desse trabalho-chave da literatura grega permaneça um mistério: A lenda da existência de um segundo livro, que teria focado na teoria da comédia de Aristóteles, acompanhando a teoria da tragédia discutida no primeiro livro da ''Poética''.

Houve um debate sobre se este é ou não um trabalho genuíno perdido, pois, apesar de ter sido mencionado em uma lista dos trabalhos de Aristóteles em uma biografia inicial, há poucas outras evidências para sua existência.

O mistério da destruição da estátua de ZeusA Estátua de Zeus já foi uma das lendárias Sete Maravilhas do Mundo na antiguidade. Das sete maravilhas daquele período, apenas a Grande Pirâmide de Gizé, no Egito, sobrevive, as outras seis foram perdidas ao longo do tempo. A Estátua de Zeus foi criada por Phidias, um dos escultores mais famosos da Grécia antiga, e sua eventual destruição continua sendo um grande mistério.

A estátua foi alojada dentro do Templo de Zeus em Olympia, que acabou sendo destruída pelo fogo. O mais provável seria que a estátua também acabou sendo destruída pelo fogo. Entretanto, alguns especialistas dizem que a estátua pode ter sido removida do templo em um estágio anterior e levado para a cidade de Constantinopla, hoje conhecida como Istambul, onde pode ter sido perdida em um incêndio por lá.

O Teorema de PitágorasHoje, o matemático Pitágoras é um dos mais famosos de todos os tempos e isso se deve ao Teorema que levou seu nome. O Teorema de Pitágoras diz que "a soma dos quadrados de seus catetos corresponde ao quadrado de sua hipotenusa." Entretanto, existem algumas incertezas quanto a sua vida e de fato de quem é a descoberta do Teorema de Pitágoras.

Isso se deve em parte ao fato de que a escola filosófica em que trabalhava operava sob condições muito secretas e, portanto, não está claro em alguns casos qual trabalho pode ser atribuído a ele e qual pode ter sido realizado por outro membro da organização. Também ficou provado que a teoria mais famosa associada a ele já era conhecida na antiga Babilônia e que não pode ser considerada sua descoberta original.

Quem criou as duas constituições dos atenienses?A Constituição dos atenienses é um título atribuído a dois documentos diferentes da Grécia antiga, um originalmente associado ao filósofo Xenofonte e o outro a Aristóteles. No entanto, em ambos os casos, a autoria foi contestada e continua sendo debatida até hoje. Embora o mais antigo dos dois textos tenha sido creditado originalmente a Xenofonte, ele agora é considerado não um trabalho seu, em parte devido à provável data de sua composição ter antecedido os anos maduros de sua carreira de escritor. Seu autor agora é frequentemente descrito como "Pseudo-Xenofonte", mas a identidade da pessoa que realmente escreveu a obra nunca foi conclusivamente estabelecida.

O documento posterior foi considerado pela maioria como tendo sido escrito por Aristóteles, mas houve alguma discordância quanto a isso, devido ao fato de ser muito diferente em estilo de suas outras obras. No entanto, isso foi combatido pela sugestão de que tais diferenças pudessem ser atribuídas ao fato de a constituição ser uma forma de escrita muito diferente do restante de suas realizações.

A arquitetura do Parthenon O Parthenon, localizado em Atenas é uma das imagens mais famosas da Grécia antiga e hoje, é um incrível ponto turístico da cidade grega. Sua resistência nos últimos 2.500 anos é ainda mais notável, uma vez que foi construída em um período curto de tempo e aparentemente sem um plano de construção detalhado. O grande mistério que envolve o Parthenon é em relação à sua criação e alguns detalhes do edifício.

Muito ainda se fala sobre o conteúdo do friso que decora o interior do Parthenon e o que as figuras dentro do friso devem transmitir: Uma das possibilidades levantadas é que elas possam ter sido destinadas a representar as pessoas que ajudaram para construí-lo. O templo também contém duas câmaras interiores, a menor das quais nunca teve seu propósito identificado.

Quem foi Thespis Thespis é o nome atribuído ao ateniense do século VI a.C, é considerado por alguns, como o primeiro ator do mundo. O impacto dessa figura na história cultural tão grande, que o termo "thespian" foi derivado de seu nome como uma maneira de se referir aos atores . No entanto, relativamente pouco se sabe ao certo sobre ele, sua vida e sua carreira. De onde ele era? Qual seu verdadeiro nome? Será que ele existiu? Essas são algumas das perguntas feitas até os dias atuais.

Foi sugerido que o próprio Thespis poderia ser considerado um mito e mais um símbolo do início da atuação na tradição teatral grega, em vez de uma pessoa específica que poderia ser definitivamente identificada.

continua depois da publicidade



Os mistérios eleusinos Um dos mistérios mais intrigantes da Grécia antiga diz respeito a uma organização secreta cujo nome também ajudou a definir o conceito de "mistério" como o entendemos hoje. Os mistérios eleusinos eram considerados um culto religioso que girava em torno de uma série de rituais e cerimônias clandestinas, muitos dos quais ainda hoje são desconhecidos.

Uma das razões de nossa atual falta de conhecimento é que os Mistérios foram projetados para serem mantidos em segredo, e os seguidores foram proibidos de divulgar os detalhes do funcionamento interno do culto. Aqueles que revelaram a verdade, correram o risco de serem mortos. O número limitado de fontes que discutem a natureza dos ritos envolvidos torna ainda mais improvável que toda a história por trás desse culto seja conhecida em sua totalidade.