Cultura e Entretenimento

O inexplicável "teletransporte" do soldado Gil Perez no século XVI

Teletransporte é a transferência de uma pessoa ou objeto de um lugar para outro instantaneamente.

Existem numerosos relatos de pessoas que supostamente desapareceram subitamente, e podemos encontrar esse fenômeno nos mitos e lendas de muitas culturas.

Nos últimos séculos, houve muitos rumores em torno do teletransporte que ainda precisam ser explicados. Um dos incidentes mais famosos desse tipo ocorreu em 1593, quando um soldado estranhamente vestido apareceu entre as sentinelas que guardavam a Plaza Mayor na Cidade do México.

Gil Perez foi um soldado que viveu no século XVI e era membro da Guarda Civil Filipina. Ele trabalhou como guarda no palácio do Governador Geral em Manila, nas Filipinas. Sua vida era normal para um soldado daquela época. Ele fazia seus trabalhos normalmente durante seu plantão na guarda, mas nunca imaginou que um dia seria teletransportado para outro país.

Em 24 de outubro de 1593, Bil Perez estava fazendo sua ronda no palácio do governador em Manila. Na noite anterior, piratas chineses haviam assassinado o governador Gomez Perez Dasmarinas, e os guardas estavam alertas ao redor do palácio, esperando pelo novo governador apontado. Cansado, Gil Perez decidiu se encostar contra uma parede para relaxar por alguns instantes, mas quando ele abriu seus olhos ele estava em um lugar completamente diferente. Não sabendo como reagir, ele continuou sua guarda até que foi abordado por alguém que começou a lhe interrogar. Foi quando ele descobriu que estava em Cidade do México, na Plaza Mayor.

continua depois da publicidade


Curso de Refrigeração e Ar Condicionado
Para dominar e conhecer desde o básico até os níveis mais avançados. Veja em detalhes neste site
https://www.mpsnet.net/G/315.html

Quando interrogado, Gil Perez contou sua história sobre o que havia ocorrido, bem como sobre a morte do governador do seu país. O assassinato ainda era desconhecido no México, pois naquela época as informações demoravam muito para cruzar os oceanos.

Gil estava usando seu uniforme da guarda e foi colocado na cadeia, pois pensavam que ele poderia ser um desertor, ou pior ainda, um ‘servidor do demônio’.

Plaza Mayor na Cidade do México - séc XVI

Gil estava na cidade mexicana Plaza Mayor (mais de 9.000 milhas náuticas de Manila, através do Pacífico). Ele explicou que momentos antes de ele chegar lá, Sua Excelência o governador das Filipinas, Gomez Perez Dasmarinas tinha sido morto por piratas chineses. Então, depois de longas horas de serviço em Manila, ele decidiu descansar por um momento. Um segundo depois, ele abriu os olhos para encontrar-se em um lugar totalmente desconhecido. Ninguém acreditou nele, é claro.

As autoridades colocaram Perez na prisão como um desertor e pela possibilidade de que ele pudesse estar a serviço de Satanás. O Santíssimo Tribunal da Inquisição questionou o soldado, mas tudo o que ele poderia dizer em sua defesa era que ele tinha viajado de Manila para o México, de alguma forma. Depois de dois meses, um navio chegou das Filipinas no México, trazendo a notícia da morte do governador. Os tripulantes disseram que eles conheciam Gil Pérez, embora não soubessem que ele estava na Cidade do México. A última vez que o tinham visto foi em 23 de outubro no palácio.

Përez repetiu a mesma história várias vezes, seu testemunho sendo coletado por Frei Gaspar de San Agustín. Aqui estão as declarações de Pérez quando o frade as transcreveu:

“Meu nome é Gil Pérez”, testemunhou o soldado. “Por estar de serviço aqui, faço o máximo possível o que me disseram para fazer. Fui ordenado esta manhã a vigiar os portões do Palácio do Governador de Manila. Sei muito bem que este não é o Palácio do Governador e, obviamente, não estou em Manila. Por que ou como isso poderia ter acontecido, não sei. Mas estou aqui, e isso é algum tipo de palácio, por isso cumpro meu dever o máximo possível. Ontem à noite, o Governador das Filipinas, Sua Excelência Dom Gómez Pérez das Mariñas, teve sua cabeça cortada com um machado e ele morreu por essa causa.”

continua depois da publicidade



O Santo Tribunal da Inquisição do México parecia não ter escolha senão acreditar na história de Pérez, que foi subseqüentemente libertado da prisão e enviado para casa. Pérez retornou às Filipinas e voltou à sua antiga posição de guarda do palácio, aparentemente levando uma vida comum e tranquila a partir de então.

A história é um caso intrigante sobre teletransporte que chegou até nós depois de 400 anos. Alguns historiadores, como Mike Dash, objetam que o incidente só aparece em textos escritos um século após os eventos supostamente ocorridos e põe em dúvida sua autenticidade. Outras fontes afirmam que a história é suficientemente credível e que existe até um documento que comprova sua veracidade que ainda pode ser consultado nos arquivos de Sevilha e da Cidade do México.

Como no passado, permanece até hoje um enigma da história não resolvido.