Cultura e Entretenimento

Histórias de humanos gigantes em várias culturas e épocas

Criaturas colossais marcam a ficção dos mitos e histórias, mas será que na vida real os gigantes também já caminharam pela Terra?

Nos últimos 200 anos, desde o inicio do seculo 20, tem surgido alegações sobre achados de restos de esqueletos ou pegadas fossilizadas, de até 3 bilhões de anos atrás, sugerindo que e as histórias de gigantes são muito mais que contos de fadas!

Enquanto na mitologia grega os gigantes quase derrubaram os próprios deuses do Olimpo, nas escrituras sagradas, Davi conseguiu matar Golias utilizando um estilingue e uma mira certeira. Já, nos contos de fadas, João teve de cortar às pressas o pé de feijão para que seu adversário colossal não o devorasse.

Alguns seres que caminhavam na terra nos primórdios da humanidade, eram bem maiores que os seres humanos, supostamente vindos de outro planeta, eram considerados Deuses, de acordo com os relatos sumérios. Na história tibetana também existem diversos relatos de seres gigantes, nossos antepassados mais evoluídos, que ajudaram os ser humano primordial a se desenvolver.

A existência de gigantes humanos vivendo em locais remotos do planeta é objeto de fascinação de muitos, apesar de nunca haver sido comprovada. As teorias se baseiam em menções feitas em textos bíblicos, além de pinturas encontradas no Antigo Egito. Entretanto, descobertas arqueológicas apontam na mesma direção: alguma espécie gigantesca de ser humano habitou o mundo que conhecemos, em algum momento da nossa civilização.

Ossos gigantes do Lago Delavan Wisconsin, 1912De acordo com um relatório publicado no The New York Times em 4 de maio de 1912, 18 esqueletos gigantescos, enterrados em carvão e argila cozida, foram encontrados no Lago Delavan, em Wisconsin. A descoberta foi feita pelos irmãos Phillips durante a escavação de um túmulo.

Em seguida, ele presumiram que as ossadas pertencessem à uma raça desconhecida de pessoas que habitaram o local. Embora fossem muito semelhantes aos esqueletos humanos, havia algumas diferenças notáveis. Além de seu tamanho muito maior, é claro.

Dessa forma, as diferenças encontradas foram:

• osso acima da cavidade ocular inclinado para trás;
• nariz de aparência muito maior do que as maçãs do rosto;
• crânio “incrivelmente semelhante com uma cabeça do macaco”.

Embora tenha sido sugerido que as evidências seriam cientificamente analisadas, não houve nenhum relatório divulgado sobre o achado. Sendo assim, um século depois seguimos sem novidades.

Embora todos os relatórios indicassem que as conclusões seriam mais estudadas e investigadas, parece não haver relatórios publicados ou conclusões sobre o achado.

Os Gigantes do Vale da Morte, 1947Em 1931, F. Bruce Russell, ex-médico de Cincinnati, anunciou que havia descoberto uma série de túneis e cavernas sob o Vale da Morte da Califórnia, no deserto de Mojave. Com seu colega Daniel S. Bovee, os dois homens exploraram as cavernas extensivamente. De acordo com a história que Russell disse a Howard E. Hill, eles encontraram vários esqueletos humanos, cada um com cerca de 2,7 metros de altura.

Hill contou a história em uma reunião do Clube de Transporte de Los Angeles, e a descoberta foi relatada no The San Diego Union em 4 de agosto de 1947. Os restos esqueléticos foram aparentemente mumificados, e Bovee afirmou que a idade dos esqueletos seria algo em torno de 80.000 anos.

Dentro da rede de túneis e cavernas, os dois também encontraram o que eles nomearam de”ritual hall” dos povos antigos, onde eles encontraram marcações que pareciam ser muito semelhantes às usadas nas sociedades maçônicas. Também disseram que os hieróglifos eram muito parecidos com aqueles que estiveram ligados à civilização perdida da Atlântida.

continua depois da publicidade


Curso de Hidro-Pneumática
Execução, montagem e manutenção voltada para máquinas e equipamentos industriais. Veja em detalhes neste site
https://www.mpsnet.net/G/621.html

Restos gigantes encontrados em Varna Bulgária, 2015Varna, na Bulgária moderna, era uma vez a antiga cidade grega de Odessos, um importante posto comercial que remonta a cerca de 7.000 anos. A mitologia de Odessos era particularmente abundante com gigantes, então quando o que parecia ser um esqueleto humano gigante foi descoberto em janeiro de 2015, atraiu os olhares daqueles que têm interesse em tais coisas.

A descoberta foi feita por acidente. Escavadoras estavam cavando na área depois que encontraram um frasco que pareceu ser do quinto século. Eles descobriram uma parede de um desconhecida fortaleza, e como eles continuaram a cavar, a fim de chegar aos alicerces da parede, eles toparam com esse achado surpreendente.

O esqueleto foi encontrado com as mãos colocadas na cintura e a cabeça virada para o leste. Escavadores e investigadores acreditam que ele foi colocado nessa posição de propósito, indicando que ele tinha alguma importância no momento de sua morte e enterro. Embora nenhuma altura exata tenha sido liberada para a mídia no momento da descoberta, uma das escavadoras se referiu ao esqueleto como ” muito alto ” e “impressionante”.

Enormes restos encontrados no Equador, 1964Em 1964, no Equador, o Padre Carlos Vaca, sacerdote que também trabalhava em hospitais, foi convidado pelos moradores a observar alguns ossos estranhos que haviam sido descobertos. O que era particularmente estranho sobre os ossos era seu tamanho surpreendente. O padre Vaca tirou alguns dos ossos da montanha onde eles foram encontrados, permanecendo em sua casa até sua morte.

O pesquisador austríaco de artefatos Klaus Dona recebeu permissão para levar os ossos de volta com ele para a Áustria para ser examinado e para participar de uma exposição chamada “Mistérios não resolvidos”. Klaus afirmou que vários especialistas examinaram os ossos e que eles parecem ser de humanos. Pelo tamanho dos ossos (incluindo um osso completo da canela), Klaus estima que a pessoa a que pertenciam teria 7,6 metros de altura!

Múmias gigantes encontradas em túneis perto do Rio Colorado, 1909De acordo com um relatório em The Arizona Gazette, em abril de 1909, enquanto explorava o Rio Colorado, o explorador GE Kinkaid fez várias descobertas notáveis. Ele afirmou ter notado um túnel que o levou quase 1,6 quilômetros sob o solo.

Encontrou uma área protegida fortificada no fim do túnel, onde encontrou armas e ferramentas de cobre, uma estátua grande (que Kinkaid disse parecer Buddha), hierógrafos estranhos, e o mais fascinante, diversas múmias com 2,7 metros de altura, todos envolvidos em sudários escuros.

Se suas afirmações não eram suficientemente controversas, Kinkaid acrescentou um pouco de combustível de conspiração ao fogo quando ele declarou que o governo tinha propositadamente selado e fechado a área para que o público não encontrasse sua descoberta . A manchete do Arizona Gazette também afirmou que os achados eram uma indicação de que pessoas antigas e altas haviam migrado para os Estados Unidos há milhares de anos atrás da Ásia.

Dedos gigantes encontrados no Egito, 2012Em março de 2012, fotografias de o que parecia ser o restos mumificados de um dedo gigante, foi supostamente descoberto no Egito, apareceu em vários sites e meios de comunicação on-line. O dedo tinha 38 centímetros de comprimento, o que significa que se fosse autêntico, o indivíduo a que pertencia teria sido gigantesco.

No entanto, apesar da alegada evidência fotográfica, a autenticidade do dedo ainda tem de ser verificada, pois a pessoa que tirou a fotografia não tem o dedo. De acordo com a história original, que apareceu no site da Bild (um tablóide alemão), as fotos foram tiradas em 1988 por Gregor Sporri. Ele pagou US $ 300 a um homem desconhecido que afirmou pertencer a uma ” dinastia de ladrões de covas” pelo privilégio de tirar as fotos. O homem desconhecido também apresentou à Sporri um raio X e um certificado para provar que era um dedo humano, algo que ele tinha obtido na década de 1960.

Sporri voltou ao Egito em 2009 com a esperança de rastrear o homem com quem falou, mas não conseguiu fazê-lo. Pelo menos por enquanto, o paradeiro do enorme dedo é desconhecido.

Curiosamente, em relação à existência de gigantes no antigo Egito, o estudioso romano Flávio Josefo parecia acreditar que existiam. Em 79 dC, ele escreveu em A História da Guerra Judaica que, “Havia gigantes. Muito maior e forma diferente do que as pessoas normais. Terrível de se ver! ”

O mistério da caverna de Lovelock 1911-1929Cerca de 32 quilômetros ao sul de Lovelock, Nevada, você vai encontrar a Lovelock Cave , por vezes referida como Sunset Guano Cave, Horseshoe Cave, ou Indian Cave. Diz-se que a caverna é mais antiga do que os assentamentos humanos conhecidos no continente.

Em 1911, dois mineiros, David Hart e James Pugh, que sabiam da caverna, se interessaram pelo guano que estava presente. Eles estavam olhando para extraí-lo devido ao seu valor no momento como um ingrediente-chave para a pólvora. Eles rapidamente criaram uma empresa e receberam permissão para começar a cavar, o que imediatamente começaram a fazer. Apesar de não terem a intenção de procurar algo dos tempos antigos, logo acreditavam que tinham encontrado exatamente isso, e contataram Alfred Kroeber, fundador do Departamento de Antropologia da Universidade da Califórnia.

O primeiro projeto arqueológico na caverna começou no ano seguinte e foi seguido por outras duas escavações em 1924 e 1929. Ao longo das escavações, milhares de artefatos antigos foram descobertos, incluindo cerca de 60 múmias humanas de altura média, bem como numerosos ossos e armas. Eles também disseram ter encontrado o que pareciam ser sandálias que tinham cerca de 38 centímetros de comprimento, uma pegada de tamanho gigante que parecia ter sido incorporado na parede da caverna, e mais múmias – só que desta vez, eles pareciam ter de 2,5 a 3 metros de altura.

O que seria interessante, se esses achados fossem realmente verdadeiros, é que Os Paiutes, uma tribo nativa americana que habitou a área por milhares de anos, falou de uma raça de gigantes peludos de pele branca, a quem eles se referiam como “Si- Te-Cha “. Sua casa era a caverna recentemente escavada.

Os gigantes das montanhas do Cáucaso Geórgia, 2014Em 2014, o programa de TV The Unexplained Files, Histórias Inacreditáveis no Brasil, foi ao ar um episódio sobre possíveis civilizações gigantes antigas. Como parte do episódio, eles se concentraram nas montanhas do Cáucaso, na Geórgia.

Em 2008, o pastor local tropeçou em um suposto túmulo de gigantes. Um grupo de pesquisadores georgianos logo acompanhou o relato, falando com o homem que fez a descoberta como parte de sua investigação. Informou-os de que havia encontrado uma cripta construída com pedra e, depois de entrar nela, descobriu dois enormes esqueletos sentados em uma grande mesa.

Os pesquisadores se aventuraram no local isolado, montanhoso e densamente florestado para ver por si mesmos. Eles chegaram à cripta de que o homem tinha falado, mas havia desmoronado. No entanto, sob a sujeira e os escombros, uma pilha de ossos foi encontrado. Eles realmente pareciam ser de humanos, além do fato de que eles eram muito maiores que um humano

Pegadas gigantes encontrada em todo o mundoAs pegadas gigantes teriam sido encontradas na África do Sul, em uma pedra de granito de 1,20 metros de comprimento. Com estimados 200 milhões de anos, as “Pegadas de Deus”, como também são conhecidas, seriam prova de uma antiga raça de gigantes.

Existem muitos relatos de pegadas gigantes e fossilizadas que foram encontradas em todo o mundo. O mais conhecido é o “Goliath’s Footprint” em Mpaluzi, África do Sul. A impressão do pé é de 4 metros de comprimento e combina com um pé humano perfeitamente, além do tamanho.

Gigantes de 5.000 mil anos, encontrados na China, em 2017Esqueletos de, pelo menos, 5 mil anos foram encontrados por arqueólogos chineses, em julho de 2017. Segundo informações da agência de notícias do governo Xinhua, os fósseis gigantes foram encontrados durante uma escavação no leste da China, mais exatamente na província de Shandong.

O mais alto deles, seria seria um homem, de 1,90 m. Os demais, entretanto, tinham uma média de 1,80 m de altura. Embora isso não parece muito, para os padrões de hoje em dia, os cientistas garante que eles eram muito mais altos que a média da população da região naquela época.

Uma boa base de comparação, aliás, são os europeus que viveram neste mesmo período. A média dos homens, afinal, era de 1,65 m, por exemplo.

continua depois da publicidade



Um dos mistério mais antigos da ciência tem a ver com a possibilidade de pessoas gigantes terem habitado na Terra. Muitos cientistas dizem que eles nunca existiram, mas o mistério nos Estados Unidos é muito forte por muita gente ter encontrado esqueletos gigantes nas terras do país

Obviamente, não existem provas reais e evidentes de que a Terra tenha sido habitada por gigantes. O que existe são fotos postadas na internet, onde pessoas de tamanho normal aparecem supostamente ao lado de esqueletos enormes, com proporções surreais, o que já ficou comprovado que não passam de montagens, ou seja, uma grande farsa virtual.

As imagens que aparecem na rede foram manipuladas digitalmente e o Instituto Smithsonian não destruiu esqueletos no ano de 1900.

De qualquer maneira, os rumores seguem ganhando destaque. Existe até uma história de que o tribunal da corte suprema dos Estados Unidos tinha forçado o Instituto Smithsonian a entregar alguns documentos que revelavam fatos misteriosos sobre a humanidade. De acordo com alguns especialistas e pesquisadores de documentos secretos, havia dezenas de milhares de informações sobre seres que chegaram a medir até 3 metros de altura.

Um dos supostos documentos secretos teria dito: “Nós estamos escondendo a verdade sobre os antepassados da Terra, os nossos antepassados. Os gigantes vagavam pela Terra, como mencionado na Bíblia e nos antigos e sagrados textos do mundo”.