Portal do Conhecimento

Cultura e Conhecimento ao seu Alcance!

Cultura e Entretenimento

Como funciona a suspensão, amortecedores e molas

Este é o conjunto que controla o comportamento de estabilidade do veículo.

O sistema de suspensão do seu carro consiste em três componentes principais - amortecedores, molas e escoras. Você já ouviu falar de choques e choques, mas você realmente sabe o que eles fazem? Eles não apenas proporcionam uma viagem suave e confortável - eles ajudam no controle e manuseio das qualidades de seu veículo. Sem choques e escoras, um veículo iria saltar pela estrada, tornando a condução extremamente difícil, para não mencionar perigosa. Choques e amortecedores são considerados críticos para a operação segura do seu veículo - eles são projetados para ajudar a manter seus pneus na estrada e você no controle de seu veículo.

Os amortecedores controlam a energia, ou absorvem a mola, das molas, para evitar que o fundo saia. Então, quando você bate em um buraco, o fundo do seu carro não bate no chão. Os amortecedores, escoras e molas trabalham juntos e mantêm o movimento do carro sob controle enquanto ele se move para baixo na estrada, sobre solavancos, curvas e curvas.

O trabalho de uma suspensão de carro é maximizar a fricção entre os pneus e a superfície de estrada, fornecer estabilidade de direção com manejo bom e assegurar o conforto dos passageiros.

Os sistemas de suspensão são classificados da seguinte forma:

»  De acordo com de independência das rodas:
   - Independente
   - Semi-independente
   - Dependente

»  De acordo com a forma de reação sobre a pista:
   - Passiva
   - Ativa

continua depois da publicidade


Guia Completo - Mecânica de Automóveis para Leigos e Experts
Conhecimentos fundamentais para realizar manutenção nos mais diversos tipos de automóveis Nacionais e Importados. Veja em detalhes neste site
https://www.mpsnet.net/G/522.html


Suspensão independente

Os sistemas de suspensão independentes são a configuração preferida por muitos dos fabricantes atuais. Essa configuração permite que cada roda se desloque independentemente umas das outras, para cima e para baixo, com o amortecedor e a mola aparafusados a uma extremidade de uma estrutura metálica. Na outra extremidade deste quadro está um braço de controle que conecta a suspensão ao chassi.
Outros sistemas vêm com um wishbone em vez de um braço de controle que, tecnicamente, prende a estrutura da suspensão em dois pontos. O posicionamento correto de cada peça da suspensão do carro em um sistema de suspensão independente da roda dianteira é crucial para manter o controle total das rodas e, ao mesmo tempo, garantir um alinhamento consistente das rodas. Isso ajuda a garantir uma operação muito mais segura do seu veículo.
Pode ser aplicada tanto no eixo dianteiro, como no eixo traseiro e ambos o sistema permite que as rodas possuam um sistema de direção. Entretanto, a aplicação de uma suspensão independente direcional é padrão na dianteira, enquanto que no eixo traseiro apenas um acessório ao conjunto do veículo.


Suspensão semi-independente

A suspensão semi-independente ela é parecida com a suspensão independente mas ela possui um eixo flexível interligando uma roda a outra por isso se houver um impacto muito grande em uma das rodas a outra vai acabar recebendo uma parte do impacto.

continua depois da publicidade


Suspensão dependente

As suspensões dianteiras dependentes têm um eixo dianteiro rígido que conecta as rodas dianteiras. Basicamente, isso parece uma barra sólida sob a frente do carro, mantida no lugar por molas de lâmina e amortecedores. Comum em caminhões, suspensões frontais dependentes não são usadas em carros convencionais a muitos anos.

»  Suspensão ativa e passiva
Em um sistema de suspensão passivo, o movimento das rodas é determinado pela superfície da via na qual o veículo estiver trafegando. Normalmente, é utilizado um conjunto de molas nas quais a energia é armazenada para ser dissipada, em seguida, pelo amortecedor do carro. Os parâmetros do conjunto são fixos, tendo como base de cálculo o melhor desempenho obtido considerando peso, carga, habilidade para executar manobras e qualidade na condução.
A suspensão ativa utiliza uma tecnologia que controla os movimentos verticais das rodas com um sistema de bordo, não deixando que essa característica seja inteiramente indicada pelas condições da estrada, como acontece na suspensão passiva.

»  Como funciona a suspensão ativa
Há vários tipos de suspensão ativa empregados pelas mais variadas montadoras e conforme o propósito do carro. Porém, de uma forma geral, a suspensão ativa utiliza sensores para a coleta de dados e essas informações identificam as condições da via e do veículo, para indicar quais tipos de movimento devem ser empregados pelo conjunto de suspensão do carro.
Uma suspensão ativa tem a habilidade de armazenar, dissipar e introduzir energia no sistema, e os seus parâmetros variam conforme as condições de operação. Esse modelo de sistema foi o primeiro a utilizar um conjunto de atuadores separados que podem exercer movimentos independentes e aguentar cargas variadas de força.
Dessa maneira, esses atuadores são capazes literalmente de erguer ou abaixar o chassi de maneira independente para cada uma das rodas, minimizando a sensação de impacto no interior do veículo. Ou seja, a suspensão ativa é capaz de corrigir a movimentação do veículo de acordo com as imperfeições da pista com mais eficiência, melhorando a habilidade de fazer manobras, a aceleração e a frenagem do veículo.
Os problemas de uma suspensão ativa, ao menos até o presente momento, são o seu alto custo, a quantidade de peças envolvidas (e a complexidade do mecanismo) e a necessidade constante de manutenção.

»  Barra estabilizadora
A barra estabilizadora liga as duas colunas de suspensão, permitindo uma maior estabilidade ao carro, além de transferir igualmente a força entre as rodas. Essa barra é fixada na carroceria com o auxílio de buchas e as colunas são ligadas a ela por meio de bieletas.