Portal do Conhecimento

Cultura e Conhecimento ao seu Alcance!

Cultura e Entretenimento

Economizando combustível de forma inteligente

Combinação de três atitudes: Direção correta, manutenção e bom combustível.

Há tantas coisas que podem influenciar a quantidade de combustível que seu carro usa. Independentemente de o seu carro ser um bebedor de água natural, ou extrair energia da eletricidade para suplementar seu uso de combustível, a maneira como você dirige e as condições do seu carro podem ter um grande impacto nos seus números de eficiência de combustível.

Não existe mágica. A receita para economizar combustível com seu carro é a combinação de três atitudes: dirigir de maneira correta, manutenção em dia e tomar cuidado ao escolher o combustível na hora de abastecer. Práticas simples, como calibrar os pneus, podem fazer muita diferença no consumo.

Ninguém quer gastar mais com combustível do que precisa. Aqui estão algumas dicas sobre como você pode economizar dinheiro com combustível simplesmente dirigindo com mais inteligência.

Manutenção regular do carro é fundamental

Um carro sem falhas mecânicas é imprescindível para economizar combustível. É impossível tentar reduzir gastos se você não tem controle sobre o funcionamento eficiente de todos os mecanismos do carro.

»  Revise todos os filtros de ar e de combustível. Os filtros sujos aumentam o consumo de gasolina em 4%

»  Use apenas óleos recomendados para o seu tipo de carro. A escolha correta pode economizar até 2% de combustível

»  Mantenha a pressão dos pneus em nível ótimo. O nível incorreto aumenta o consumo de combustível e reduz a vida do pneu. Uma vez ao mês, revise a pressão em um posto de gasolina e economize até 3% de combustível.

»  Troque das velas: Se estiveram gastas, ou fora das especificações ideais, vão deixar que uma boa parte da mistura não seja queimada adequadamente, o que pode acabar levando o motor a trabalhar com uma relação entre ar e combustível mais rica, o que aumenta o consumo. Os modelos convencionais de velas devem ser trocados a cada 20 mil km, mas até lá precisam ser verificadas a cada 5 mil km, já que a folga do eletrodo pode estar fora do recomendado.

»  Faça alinhamento e balanceamento: Se não costuma verificar de vez em quando o estado dos pneus, que tal começar a fazê-lo? Se notar desgaste irregular ou exagerado, há boas chances das rodas estarem desalinhadas ou desbalanceadas. E isso pode contribuir com um aumento de até 10% no consumo de combustível do carro porque o motor acaba fazendo um esforço maior para mover o veículo nas mais variadas situações.

»  Injeção Eletrônica: Uma limpeza de bicos pode reajustar uma possível alimentação incorreta de combustível. Pequenas falhas de motor podem indicar sujeira no sistema.

»  Desconfie dos “milagrosos” economizadores de combustível. Existem muitos dispositivos no mercado que prometem melhorar o desempenho do seu carro e economizar baldes de combustível. Muito poucos foram provados para trabalhar por testes científicos repetíveis. Não acredite em nenhum deles, seja nos que se adaptam junto ao circuito de combustível, seja nos conectados ao sistema elétrico do motor. Não caia também no conto do chip: aquele que a oficina diz reprogramar na central eletrônica para economizar combustível.

»  Combustível de boa qualidade - Nada mais prejudicial para o carro do que combustível batizado. Gasolina com querosene ou etanol com água interferem muito na média de combustível porque a leitura do sistema de injeção eletrônica é afetada pela composição errada. Por isso, abasteça sempre em postos com o selo da ANP e dê preferência a grandes redes.

»  Combustíveis aditivados ou de alta octanagem, não representam benefícios ao motor. A maioria dos carros foram feitos para rodar combustível comum. Procure um posto de confiança que ofereça qualidade e escolha o custo/benefício.

»  Gasolinas Premium e Podium não ajudam. Se seu carro não é um esportivo e nem tem um super motor de alta compressão (e potência), não adianta abastecer com gasolina Premium ou Podium. Não há benefícios adicionais para o desempenho ou longevidade do seu carro. Simplificando, você está pagando um bom dinheiro por algo que você não precisa.

continua depois da publicidade


Curso Basico em Mecanica Automotiva
Aprenda passo a passo a desmontar, montar, identificar defeitos, bem ilustrado didatico e prático. Veja em detalhes neste site
https://www.mpsnet.net/G/617.html

Atitudes simples do motorista que podem fazer toda a diferença no consumo final de combustível.

»  Nada de frear ou acelerar bruscamente. Pois é, até a intensidade com que se pisa no acelerador e no freio influencia no consumo do combustível. Ao frear ou acelerar de forma súbita, forçamos o motor além do que a situação demanda, fazendo com que ele consuma mais gasolina e, ainda, causando desgastes desnecessários nos pneus, comprometendo o sistema de frenagem. É interessante manter uma distância segura entre seu veículo e o que está na frente para que, assim, você tenha a possibilidade de realizar a frenagem de forma mais suave e aos poucos.

»  Troca de marcha de forma correta.
É isso mesmo que você leu! Trocar a marcha de maneira incorreta pode consumir mais gasolina.
As marchas fazem parte do sistema de transmissão do carro e, por isso, são responsáveis por enviar força do motor para as rodas. Para cada marcha existe uma faixa de velocidade específica.
Existem carros com diferentes tipos de motor com relação à potência. Veículos com motor 1.0, por exemplo, exigem trocas de marcha em velocidades mais baixas que um motor 1.8 exigiria.
É por isso que o condutor deve conhecer seu carro e entender quando ele está “pedindo” mais ou menos potência, pois, desta forma, o motor respeita melhor seus limites e gasta menos combustível.

»  Pare de andar em ponto morto!
Esta é uma atitude bem comum entre os condutores. Na verdade, existe uma crença entre muitos de que esta ação pode realmente gerar economia de combustível.
Acontece que, apesar de fazer sentido quando falamos em motores com injeção mecânica, os famosos carburadores, não podemos dizer o mesmo sobre os carros mais modernos que possuem injeção eletrônica.
E, na verdade, praticamente não temos mais carros com carburação. Ao descermos uma ladeira no ponto morto, estamos mantendo o motor em rotação baixa enquanto o carro anda em uma alta velocidade.
Isso acaba gerando um gasto muito grande de combustível, pois o motor entende que o veículo está andando em marcha lenta e, assim, demanda mais potência do motor.
O sistema de injeção eletrônica é inteligente. Ele é capaz de identificar quais as quantidades necessárias de ar e de gasolina para que ocorra a combustão, responsável por alimentar o motor.
E, além de tudo, ela também sente as desacelerações e as descidas por intermédio das rotações das rodas, diminuindo o uso de combustível e contribuindo para a economia.

»  Atenção no trânsito - Seu comportamento no trânsito é fundamental para economia de combustível. Próximos aos semáforos, por exemplo, diminua a velocidade se o sinal estiver vermelho. Assim, não é preciso parar completamente e a retomada da velocidade será mais suave. Evite aquele ziguezague entre os carros. Isso só causa estresse e aceleradas desnecessárias. E abandone o hábito de acelerar o carro antes de desligá-lo.

»  Ar condicionado - Você não vai passar calor, claro. Mas em dias de temperaturas amenas é possível desligar o ar condicionado. Ele aumenta, em média, 20% o consumo do veículo.
Todo mundo sabe que a utilização do ar-condicionado aumenta em até 20% o consumo de combustível. Entretanto, em determinadas situações, é melhor utilizar o ar-condicionado do que abrir as janelas.
Se você estiver dirigindo a menos de 60 km/h, vale mais a pena baixar os vidros, dado que a resistência do ar nessa velocidade não compensa o gasto com o ar-condicionado ligado.
No entanto, se você está viajando acima de 60 km/h e a velocidade será mantida nesse patamar, é mais vantajoso manter as janelas fechadas e ligar o AC. Isso ocorre porque a resistência do ar com a janela aberta seria tão grande que o esforço adicional gastaria mais combustível que ligar o ar-condicionado.

»  Dirija próximo ao limite de velocidade.
Quando estiver na estrada, tente ficar no (ou perto do) limite de velocidade. Enquanto a velocidade ideal para o consumo de gasolina vai variar de acordo com marca e modelo, é de conhecimento geral que quanto mais rápido você estiver, especialmente em velocidades de estrada, pior será o consumo do veículo.
Dirigir acima do limite de velocidade da estrada vai reduzir piorar o consumo do seu carro entre sete e 23 por cento. A velocidade ideal de cruzeiro varia entre 80 e 100 km/h.

»  Mantenha seu carro o mais aerodinâmico possível.
Quanto mais aerodinâmico seu carro estiver (ou seja, quanto menos resistência é colocada sobre ele), melhor será o consumo. Isto significa que você deve dirigir com as janelas fechadas (mais sobre isso na próxima dica), o teto solar fechado e guardar todos os itens extemporâneos (bagageiro de teto, bandeiras de times, etc) no veículo.

»  Marcha lenta.
Em um veículo manual, observe o conta-giros e mude a marcha antes de chegar a 2.500 rpm (gasolina) ou 2.000 rpm (diesel). Nessas faixas de rotação, o motor é mais eficiente em termos de consumo de combustível.
As transmissões automáticas trocarão as marchas com mais eficácia se você aliviar um pouco a pressão do pé no acelerador logo que o carro embalar. Sempre que puder manter uma velocidade constante, tente usar a marcha mais alta possível.

»  Mantenha a distância Mantenha uma distância razoável do carro à sua frente para poder antecipar as manobras e acompanhar o fluxo do trânsito. Isso evita acelerações desnecessárias e freadas que acabam gastando combustível. Além disso, é bem mais seguro. A distância segura mínima entre você e o carro à sua frente é de três segundos. Ao avistar tráfego parado mais adiante, tire o pé do acelerador e deixe que a perda de potência do motor desacelere o carro. Não espere para frear no último minuto.

Os fatores que mais desperdiçam combustível*

1. Pneus murchos (17,8% a mais de gasto)
2. Excesso de peso (10,8%)
3. Janelas abertas (9,3%)
4. Velas gastas (7,5%)
5. Filtro de ar entupido (6,2%)
6. Rodar no ponto morto (5,2%)

* Centro de Pesquisas da Petrobras (Cenpes).