Portal do Conhecimento

Cultura e Conhecimento ao seu Alcance!

Cultura e Entretenimento

Dicas para os seus pneus durarem mais

Rotinas simples que lhe darão mais economia e segurança.

Eles fazem todo o serviço pesado. Sustentam o carro, caem em buracos, encaram asfalto quente, passam sobre pedras… Os pneus foram feitos para suportar tudo isso e muito mais. Às vezes, eles chegam aos 60000 km em condições saudáveis, em outras podem estar em frangalhos antes dos 40000 km. Quer saber quais os segredos para eles durarem mais?


Não descuide da calibragem dos pneus

Pressões erradas dos pneus - particularmente pressões muito baixas - levam a um desgaste rápido do piso ou mesmo a uma falha total do pneu e podem afetar o manuseio. Faça verificações quinzenais regulares, bem como verificar antes do início de uma longa jornada.

Uma das principais maneiras de fazer o pneu do carro durar mais é criando o hábito de sempre verificar a pressão dos pneus quando for abastecer o veículo ou fazer isso uma vez por semana. A falta de pressão adequada faz o carro consumir mais gasolina e desgasta o pneu de forma mais rápida.

Nunca esvazie ou reduza a pressão dos pneus enquanto eles estiverem quentes devido à utilização, pois a pressão normalmente sobe acima dos níveis recomendados devido ao aquecimento, a calibragem correta deve ser feita com o pneu frio, porque o aquecimento eleva a pressão interna alterando a medição final.

Qual a calibragem ideal?
A resposta está sempre no carro. Pode estar na carroceria, no batente da porta ou na tampa do tanque de combustível, e claro, no manual do proprietário. Existe casos que o fabricante recomenda pressão diferentes nos pneus dianteiros e traseiros.


Alinhamento, Cambagem e Caster

Quando devo fazer?

Alinhamento
É recomendado que um alinhamento seja realizado quando houver a substituição de peças da suspensão ou dos pneus. Além disso, é importante que ele seja feito em toda revisão previamente indicada pelo fabricante ou a cada 10 mil quilômetros rodados. Um alinhamento também é indicado após colisões e fortes impactos contra guias, pedras ou buracos, por exemplo. Quando o condutor do veículo perceber algum tipo de irregularidade no comportamento da direção ou quando desgastes irregulares forem observados nos pneus, é necessário que um alinhamento seja realizado.

Cambagem
É fortemente recomendado que a cambagem seja realizada junto com o alinhamento e o balanceamento, caso haja a necessidade. Não existe uma periodicidade exata para a realização do serviço. Porém, é importante que o condutor tenha sempre em mente que um ângulo de camber errado pode causar desgastes irregulares dos pneus. Então, se o condutor costuma transitar por estradas esburacadas, provavelmente correrá o risco de cair em um desses buracos. Com isso, alterações no ângulo de camber podem vir a ocorrer por conta dos excessos de buracos, fortes colisões ou por excesso de carga carregada.

Cáster
A verificação do Cáster precisa ocorrer quando o condutor percebe baixa estabilidade do seu carro em altas velocidades, dificuldade em realizar manobras e direção pesada. Além disso, tal serviço também precisa ser realizado em casos de colisões, pois os sistemas de suspensão e de direção podem ter sido afetados de alguma maneira.

continua depois da publicidade


Curso Basico em Mecanica Automotiva
Aprenda passo a passo a desmontar, montar, identificar defeitos, bem ilustrado didatico e prático. Veja em detalhes neste site
https://www.mpsnet.net/G/617.html


Balanceamento de Rodas

O balanceamento precisa ser realizado quando os pneus forem trocados ou a cada 10 mil quilômetros, como acontece com o alinhamento. Um sinal de que o serviço precisa ser realizado fora do período supracitado é quando apresenta trepidações com o aumento da velocidade do veículo.


Realizar o rodízio periodicamente

Os pneus dianteiros e traseiros dos veículos trabalham em situações diferentes mas que ocasionam em desgastes desiguais. Para aumentar a vida útil e o desempenho dos pneus mantendo um nível equivalente de desgaste entre todos com benefício à segurança, é essencial fazer o rodízio dos pneus do veículo conforme recomendação do fabricante. O ideal é realizar o rodízio a cada cinco mil quilômetros.

Diferença entre pneu Assimétrico e Simétrico:
Os pneus assimétricos surgiram da necessidade de conciliar exigências opostas. Em piso seco, quanto maior a área de contato com o solo (quanto mais borracha houver em contato), maior será a aderência do pneu.
Em um assimétrico, o desenho da metade da banda de rodagem montada no lado externo é diferente da outra metade, montada no lado interno. A externa contém gomos maiores e mais próximos, de modo a ampliar a área de contato nas curvas, quando essa seção do pneu é mais solicitada. A interna, por sua vez, traz gomos menores.


Respeitar a capacidade máxima de carga do veículo

Todo pneu possui um limite de carga estipulado pelo fabricante e informado na lateral do próprio pneu. Exceder este limite pode tornar o pneu muito suscetível a falhas, além de danificar sua estrutura e acelerar o desgaste da banda de rodagem. Uma combinação perigosa é pneu com baixa pressão e carga excessiva.

Lembre-se de que os pneus devem ser ajustados para carga, reboque e direção em alta velocidade. Siga as recomendações fornecidas no manual do carro ou manual de serviço ou consulte os fabricantes de pneus.

Dicas Gerais para Economia nos Pneus

» Manutenção geral do veículo:
Fazer a manutenção preventiva de todo o veículo: amortecedores, molas, freios, rolamentos, eixos e rodas atuam diretamente sobre os pneus.

» Continue com a mesma medida estabelecida pelo fabricante:
A montadora, em conjunto com a fabricante do pneu, projeta a melhor especificação de pneu para cada veículo. Além disto, todo conjunto de suspensão e freio sofre influência do desempenho dos pneus, e vice versa. Alterar as medidas originais de fábrica pode colocar o veículo numa condição de dirigibilidade e estabilidade diferente do que ele foi projetado e, consequentemente, gerar uma condição de insegurança para o motorista.

» Dirija sem exageros:
Acelerações e frenagens bruscas são algumas das atitudes que mais prejudicam o tempo de vida útil de um pneu. O excesso de velocidade também está ligado com o desgaste maior de muitas peças. Acelerações e frenagens bruscas, além de representarem um perigo para a vida do condutor, ocasionam um desgaste irregular e acentuado dos pneus.

» Não coloque câmara de ar em pneus que dispensam seu uso:
A maioria dos pneus dos veículos leves atuais é de construção radial e não usam câmara de ar, ao contrário dos pneus de décadas atrás que eram majoritariamente de construção diagonal e utilizavam câmaras de ar. Instalar câmaras de ar em pneus originalmente sem câmaras pode provocar superaquecimento do pneu e deixa-lo numa situação de risco quanto à segurança.

» Não utilize pneus com desenho diferente no mesmo eixo: Os pneus estão cada vez mais tecnológicos e nos últimos anos isto tem ajudado muito em sua durabilidade. Por outro lado, há novos fatores que devem ser considerados no momento da montagem, como por exemplo, o sentido de giro do pneu, lado de montagem, uso em estrada pavimentada ou terra e outros. Quando são instalados pneus com desenho de bandas diferentes no mesmo eixo, há uma perda considerável dos benefícios técnicos do pneu como, por exemplo, a diferença de aderência entre os lados, a capacidade de escoar água diferente entre os lados, geração de ruído diferente, resistência a rolagem diferente entre os lados e etc. Estas diferenças de performance entre os lados pode, em situações extremas, desestabilizar o veículo e colocar o motorista numa situação de risco.

» Observar periodicamente o indicador de desgaste da rodagem (TWI):
Este indicador, existente em todo pneu, mostra o momento certo para se efetuar a troca, reduzindo o risco de rodar com o pneu careca. O limite de profundidade do sulco do pneu é de 1,6 milímetro.