Página Inicial » Espaço Sideral


 

|02|

Especulações bastante intrigantes sobre o Universo

Como se formaram as galáxias?
 

Esse tem sido uma das áreas mais estudadas pela astrofísica, e a teoria mais aceita para explicar a origem dessas galáxias é que elas surgiram nos primórdios do universo, quando este era um caótico mar de partículas subatômicas. Mas o mais difícil de explicar é porque elas se juntaram para formar os corpos celestes, já que a expansão do universo forçava a matéria a se espalhar, afastando as partículas uma das outras. Uma das teorias para explicar isso é que em algumas regiões do universo havia mais partículas do que o normal, onde a atração gravitacional venceu a expansão cósmica, forçando as partículas a se juntarem.

Se todas as galáxias se afastam da Terra, estamos no centro do universo?
 

Nunca. Isso porque o universo não possui um centro. Imagine o universo com uma bexiga que está sendo enchida com ar com vários pontos em caneta que representam as galáxias. À medida que ela se expande, os pontos vão se afastando entre si, e se você se colocar no lugar de um dos pontos, verá que todos os outros estão se afastando de você, dando a impressão de que se está no centro. É o mesmo que acontece no universo.

O universo é finito? Se sim, o que há depois desse fim?
 

Primeiramente, observações que se baseiam na Teoria do Big Bang afirmam que o universo não é infinito em tamanho ou em idade. Mas vamos lembrar que o espaço e o tempo estão relacionados. Logo, quando olhamos para muito longe, vemos o passado. E se pudéssemos enxergar esse limite, veríamos o instante do Big Bang. Ou seja, do mesmo modo que não podemos saber o que há antes do Big Bang com as leis físicas atuais, é impossível saber o que há depois do universo.

O universo irá morrer?
 

É uma pergunta que os físicos não podem responder com clareza, pois sua resposta está ligada com a quantidade de matéria que o universo possui. Existem duas teorias para sua morte. A primeira vale caso o universo possua muita matéria. Nesse caso, a gravidade irá ganhar a disputa com a expansão cósmica (lembre-se da primeira pergunta), e passará a atrair tudo num processo igualmente “lento” à expansão, levando à um Big Crunch, ou seja, toda a matéria seria novamente comprimida num único ponto muito pequeno e infinitamente quente e denso, levando à um novo Big Bang. Contudo, se o universo não possui tanta matéria assim, ele se expandirá eternamente (a força da expansão será sempre superior à força gravitacional), fazendo com que as galáxias fiquem tão distantes entre si que o universo simplesmente congelará, já as estrelas deixarão de queimar, levando o universo à um Big Freeze.

O que “explodiu” o Big Bang?
 

Quem veio primeiro, o ovo ou a galinha? Talvez o universo mesmo tenha se criado. Se a teoria do Big Crunch estiver correta, ele gerará um novo Big Bang “automaticamente”, num ciclo infinito. Tal teoria é denominada “Universo cíclico”, sendo muito aceito pela comunidade científica, embora isso seja impossível de ser investigado. Ou seja, a questão permanece um verdadeiro mistério.

Onde o universo está se expandindo?
 
Essa seja talvez uma das mais intrigantes perguntas a respeito do universo, já que não podemos enxergar a resposta. Segundo a Teoria da Relatividade ele se expande no próprio espaço-tempo. Lembre-se do exemplo da bexiga. No caso, o universo não é a bexiga “completa”, e sim somente sua superfície. Podemos ver ela se expandindo pois estamos vivendo em 3 dimensões. Ou seja, a bexiga é bidimensional. Mas sabemos que o universo possui pelo menos 3 dimensões espaciais (não levando em consideração a Teoria das Cordas), logo precisaríamos estar vivendo em quatro dimensões para imaginar algo tridimensional se expandindo. Mas o tempo não é a quarta dimensão? Sim, então o universo se expande no tempo. O tempo é uma dimensão onde o universo está imerso. Complexo não?

 

 


Conheça os Cursos On-Line
Portal do Conhecimento