Página Inicial » Dicas de Construção e Reformas


                                        

     

|02|


Infiltrações em obras, dicas para combater e evitar

A preocupação com a impermeabilização de superfícies em uma obra deve começar antes mesmo da execução da obra, com o planejamento de utilização de materiais isolantes nas superfícies expostas a água. Este é certamente um investimento valioso que será notado com o passar do tempo.

Lajes, pisos frios, shafts, caixas de água, piscinas e tantos outros locais precisam ser estudados cuidadosamente com relação ao uso e exposição de água para que, no futuro, não se tenham problemas com umidade, mofos e etc, sem falar no transtorno de se quebrar o que estava pronto.

Porém, é preciso ficar atento, pois nada é permanente no que diz respeito a validade dos produtos usados e que cada um requer um prazo de manutenção.

As infiltrações são um dos piores problemas em uma edificação, pois quando começam não se percebe o início, e quando se fazem notar, geralmente já estão em estágio bem avançado.

As principais características de uma infiltração são:

– Superfície manchada de amarelado ou mofo;

– Superfície molhada ou úmida;

– Superfície esfarelando ou revestimentos soltando.

Combater uma infiltração pode ir da escala simples até a mais complexa. Quando se fala de infiltração, o início do problema é a dificuldade de se identificar o foco para depois encontrar a solução.

Existem empresas especializadas neste tipo de serviço e estas possuem aparelhos que funcionam como um rastreador de umidade para se localizar o foco, mas mesmo assim, dependendo do caso, se não houver um vazamento pontual e se o foco de fungos devido a umidade já tiver se espalhado, será preciso muito empenho para achar uma solução.

Outro importante cuidado, é com o escoamento das águas das chuvas, que cada vez estão mais fortes e volumosas. O permanente cuidado com a limpeza das calhas é muito importante para se garantir um eficiente escoamento.

Enfim, tudo o que diz respeito a investimento na prevenção de infiltrações vale muita atenção! O ideal é que se procure sempre um profissional capacitado para orientações e execução.

A falta de impermeabilização adequada antes da colocação de revestimentos em lajes, paredes e pisos é a principal causa do problema. Mas, há também infiltrações causadas pela má instalação de portas ou janelas, por exemplo, o que permite a entrada de água da chuva. Ou ainda instalação incorreta de tubos e conexões em projetos de hidráulica.

Também é possível encontrar infiltração onde há caixilhos (janelas) ou portas mal vedadas e também em paredes que estão em contato com jardins ou floreiras.

A umidade pode surgir no teto (quando uma laje não recebeu impermeabilização); em qualquer parede, em decorrência de vazamentos de tubulações, portas e janelas mal vedadas e ainda por falta de acabamento adequado; ou no piso, por falta de impermeabilização ou assentamento incorreto de revestimentos e pedras, ou ainda por causa de baldrame ou fundação da residência sem impermeabilização.

As infiltrações podem resultar em manchas permanentes devido ao rompimento de tubulações, gotejamento, manchas próximas ao forro ou ao piso, corrosão de armadura da laje, degradação dos materiais de revestimento, descolamento de rebocos, desgaste da pintura ou ainda manchas nos peitoris das janelas.

Como evitar? Há diversos tipos de impermeabilização e cada um é destinado a um uso do espaço. Há, por exemplo, a impermeabilização rígida e a flexível. A última é destinada a lajes, pois sofrem oscilação (dilatação e retração) com a mudança de temperatura.

“A impermeabilização deve acompanhar a movimentação normal que ocorre em paredes e pisos. Do contrário, se solta e cria aberturas por onde a água passa”.

Há mantas próprias para uso em jardineiras ou floreiras. Muitas plantas têm raízes agressivas, que são capazes de perfurar qualquer tipo de estrutura, incluindo o concreto, gerando infiltração de água a cada chuva ou rega.

Vale salientar que infiltrações também podem ocorrer por descuido de instaladores de móveis ou eletrodomésticos. “O uso de furadeiras pode causar perfurações em canos e até mesmo o aperto além do necessário em uma conexão para a instalação de uma lavadora pode causar problemas”.

Como resolver

É preciso analisar com cuidado a mancha de umidade. Ela nos dá indícios do problema. Uma parede com umidade rente ao chão, com altura até 1 metro, pode indicar que não houve impermeabilização adequada da fundação do imóvel ou que há infiltração decorrente do uso incorreto da cola para o revestimento ou ainda de algum problema vindo do vizinho. Manchas arredondadas próximas a canos ou registros podem indicar pequenos vazamentos nas conexões.

Uma vez detectada a causa é preciso fazer o reparo o mais rápido possível para não danificar móveis ou revestimentos, que tendem a se soltar com a umidade.

Vazamentos em canos exigem a quebra da parede no local afetado e substituição do ponto danificado. “Recentemente, alguns fabricantes de tubos e conexões oferecem produtos que são unidos entre si por um processo chamado de termofusão, a uma temperatura superior a 200 graus. Portanto, é preciso contar com pessoal treinado para esta tarefa, em especial nos casos de instalação de água quente, muito comum agora em edifícios residenciais”.

Nas paredes, é preciso descascar todo o revestimento e refazê-lo com aplicação prévia de produtos impermeabilizantes misturados à massa.

Thais reforça que os problemas referentes à ação da umidade estão presentes em todas as fases da vida de uma edificação, sendo que a boa qualidade do projeto, com a escolha de materiais, de sistemas construtivos e da impermeabilização adequados, além da devida atenção ao microclima da região, garantem a prevenção do problema.

“A execução dos serviços com equipes especializadas e a manutenção periódica mantêm a qualidade e a durabilidade da construção”.

 

 

 


Conheça os Cursos On-Line
Portal do Conhecimento