Página Inicial » Curiosidades


  

 
|03|
 

 
História da máquina de costura

Pesquisadores da fase inicial da máquina de costura, podem afirmar que o fato inventado é, em muitos aspectos, uma das máquinas mais importantes já inventadas.

A invenção da máquina de costura, a princípio causou choque e pavor nas gerações da época, porém, após a revolução industrial, trouxe entre outras coisas, a incorporação das mulheres no mercado de trabalho, assim como a introdução de novos sistemas de produção e marketing.

A história realmente começou em 1755 em Londres, quando um imigrante alemão, CHARLES WEINTHAL, obteve uma patente para inventar uma agulha, que pudesse ser usada na costura mecânica.

Não havia nenhuma evidência de algo parecido, ou seja, uma máquina que fizesse uma agulha costurar, então, 34 anos se passaram até que o inglês SAINT THOMAS, pudesse inventar o que podemos considerar "a primeira máquina de costura".

Foi, portanto, em 1790, que o marceneiro SAINT THOMAS, conseguiu patentear uma máquina onde um perfurador furava o couro, permitindo em seguida que na perfuração atravessasse uma agulha.

Críticos de SAINT THOMAS afirmavam que, muito possivelmente, isso não passasse de uma ideia e que talvez a máquina nunca fosse construída.

Neste contexto, sabe-se que no final do século XIX - particularmente em 1880 - houve quem tentasse construir máquinas de costura, com base nos planos de SAINT, porém, para que ela realmente funcionasse teria sido necessário introduzir modificações consideráveis​​.

A história, em seguida, segue para Alemanha onde aproximadamente em 1810, o inventor BALTHASAR KREMS desenvolveu uma máquina para costurar chapéus, não sendo possível dar datas exatas de quando a patente foi solicitada.

Um alfaiate austríaco, JOSEF MADESPERGER através da obtenção de uma patente em 1814, produziu uma série de dispositivos para máquinas, afim de modernizar e facilitar o trabalho, mas fracassou na sua tentativa de adaptar todos os dispositivos em uma única máquina.

Depois de ter sido premiado com uma bolsa de estudos do governo austríaco continuou a sua pesquisa ao longo de vários anos.

Este inventor infeliz terminou seus dias como muitos outros, em miséria absoluta.

Duas idéias foram patenteados em 1804: uma na França, em nome de THOMAS STONE y JAMES HENDERSON, na qual, uma máquina que imitaria a costura a mão; e a outra ideia na Escócia, em nome de JOHN DUNCAN, uma máquina que bordasse com várias agulhas.

Nada se sabe sobre o destino de tais invenções.

A primeira reivindicação pelo EUA foi alcançado em 1818, quando o clérigo de Vermont JOHN ADAMS e seu sócio JOHN KNOWLES, construiram um mecanismo que fazia uma costura razoável, porém, havia a necessidade de um ajuste minucioso, pois a máquina costurava apenas um comprimento reduzido, motivo pelo qual essa ideia se tornou impraticável.

Uma das reivindicações mais razoáveis ​​como inventor da máquina de costura, deve ser no entanto, de THIMONNIER BARTHELEMY que, em 1830, foi concedida uma patente pelo governo Francês.

A máquina de THIMONNIER, foi inteiramente feita de madeira. Ele a princípio usou uma agulha farpada em sua máquina e após perceber o potencial da mesma, a projetou para bordar.

Ao contrário de qualquer um de seus antecessores, THIMONNIER foi capaz de convencer as autoridades da utilidade de sua invenção e, finalmente, conseguiu um contrato para a construção de uma grande quantidade de máquinas de costura, para confecção de uniformes para o exército francês.

Depois de dez anos a partir da concessão da sua patente, THIMONNIER passuia uma fábrica com oitenta máquinas.

Foi então que um grupo de alfaiates de Paris, vendo esta nova invenção como uma forte concorrência, invadiram a fábrica e destruiram todas as máquinas e THIMONNIER, só pode ter dado graças a Deus, em sair salvo de tal ação.

Mais tarde melhorou sua máquina e com um novo parceiro tentou produzir em larga escala, mas, mais uma vez, os alfaiates não estavam dispostos a tolerar.

Devido à situação política da França na época, THIMONNIER não obteve proteção adequada das autoridades e decidiu fugir para a Inglaterra com uma das máquinas que pode salvar.

Pode se dizer que este homem, certamente produziu a primeira máquina de costura mecanizada, também foi o primeiro a oferecer máquinas para comércio e de quebra, o primeiro a dirigir uma fábrica de confecção.

Apesar de tudo isso morreu em uma casa de caridade em 1857. Mais uma vez a história se repete.

Nos EUA , WALTER HUNT inventa em 1833, a primeira máquina que realmente simulou a costura manual, usando dois carretéis de linha e incorporando uma agulha com olho na ponta, destas usadas hoje dia.

Mas essa idéia também fracassou porque a máquina só poderia costurar costuras retas e num pedaço muito curto, assim como aconteceu com o clérigo de Vermont JOHN ADAMS e seu sócio JOHN KNOWLES, em 1818.

Também nos EUA. JOHN GREENOUGH, nove anos após a invenção da HUNT, produziu uma máquina em que a agulha atravessava completamente o tecido, mas, apesar dele ter construído com o intuito de arrecadar fundos para sua fabricação, não teve o resultado esperado, pois, ninguém quis ver o projeto desenvolvido.

No entanto, outras pequenas invenções foram feitas na década de 1840. A maioria dos norte-americanos afirmam que a máquina de costura foi inventada em Massachusetts pelo agricultor ELIAS HOWE, que completou seu primeiro protótipo em 1844, patenteando seu invento um ano depois.

ELIAS HOWE, tratou de incorporar um grupo de alfaiates em sua invenção e até organizou uma competição entre sua máquina e o melhor costureiro de mão, tendo um resultado favorável.

Mas o mundo não estava pronto para aceitar a mecanização da costura e apesar das inúmeras manifestações , não conseguiu formalizar nenhuma venda.

ELIAS HOWE sentiu-se completamente "preso" e decidiu enviar seu irmão AMASA HOWE para a Inglaterra na esperança de conseguir resultados melhores no outro lado do Atlântico.

AMASA HOWE, encontrou somente uma pessoa interessada no projeto, o fabricante de corseletes WILLIAM THOMAS, que comprou os direitos para a invenção e concordou com ELIAS HOVE em sua viagem para Londres, afim de melhorar e desenvolver a máquina.

A reunião no entanto, não foi bem sucedida,como era de se esperar. As divergências foram imediatas. Alegações de violação do contrato e nenhum centavo. ELIAS HOWE decidiu voltar para os EUA.

Ao chegar pode comprovar que a máquina de costura estava sendo fabricada em seu país por vários fabricantes, inclusive a SINGER e, todas elas em contravenção com HOWE, atraindo assim uma longa série de ações judiciais que foram resolvidas somente quando grandes empresas como WHEELER & WILSON e GROVER & BAKER se reuniram, compartilharam suas patentes e lutaram como uma só empresa, a fim de proteger o monopólio.

A SINGER não produziu nenhuma melhoria notável na máquina de costura, mas foi o precursor para a introdução de novas estratégias comerciais, melhorando também o sistemas de produção.

Tanto a SINGER como HOWE, terminaram seus dias como bilionários. Outros, como vimos, não tiveram tanta sorte.

Depois de todo o exposto, não há dúvida de que eles vão continuar as divergências sobre quem foi o inventor da máquina de costura e é improvável alcançar qualquer acordo.

O que está claro, no entanto, é que, sem o trabalho pioneiro dos mortos, os sonhos das costuras mecanizadas nunca se tornaram realidade.

Que esta exposição sirva como uma homenagem a todos eles.

traduzido do livro:

"Evolución Histórica De La Máquina De Coser"

Espanha
OBS: As datas se misturam, pois trata -se de histórias paralelas e envolve apenas uma época. É claro que hoje em dia temos muitas variedades...um tipo de máquina para cada função...e tudo isso, graças a esses pioneiros que foram acima de tudo, perseverantes.

 

 


Conheça os Cursos On-Line
Portal do Conhecimento