Página Inicial » Auto Mania




 
|01|
 

 

   Cronologia do Automóvel no Mundo

Antes mesmo de começarmos a falar de Automóvel e do seu conceito dele que conhecemos hoje em dia, ou seja, “veículo com motor quatro tempos movido a combustão interna”, iremos citar alguns pontos importantes que aconteceram antes mesmo de sua concepção e que de certo modo ajudaram na construção e evolução deste “mito” chamado AUTOMÓVEL, que acabou se tornando um dos objetos de consumo mais queridos e cobiçados do mundo.
Citaremos apenas alguns passos e as principais mudanças ocorridas durante o decorrer do tempo, dando ênfase apenas à história dos automóveis pequenos, ou seja, de passeio.

1758 - Entra em funcionamento a 1° ferrovia do mundo em Leeds Inglaterra, consequentemente com o 1° veículo movido à tração “não animal”, as locomotivas à vapor.

1770 - O engenheiro francês Nicolas Joseph Cugnot, coloca em circulação nas ruas de Paris na França o 1°automóvel do mundo movido à vapor, pesando 5 toneladas ele movia-se à espantosa velocidade de 3 km por hora.

1862 - O Belga Etienne Lenoir constrói um carro cujo motor funcionava à gás, ele dirigiu-o de Paris a Joinville (França) num trajeto de 2 km. Tinha potencia de 1 CV e o seu projeto atraiu os engenheiros da época que passaram a aperfeiçoa-lo.

1876 - O Alemão Nikolaus August Otto patenteia o motor de quatro tempos (principio que vale até hoje), mas sua patente dura apenas alguns anos, pois Gottlieb Daimler e Karl Benz quebram essa patente e a nova tecnologia se torna de domínio publico, faltava apenas “nomear” a novidade.

A origem do nome “AUTOMÓVEL”

Muitos foram os nomes que surgiram no final do Séc. XVII para nomear a novidade, alguns deles foram:

Motovique;
Autocinético;

Para Henry Ford em 1896, o seu 1° protótipo se chamava “Quadriciclo”;
Para os Irmãos Duryea, americanos que fabricaram o 1° carro da América em 1893, chamam-no de “Vagão Motor”;
Mas foram os franceses que o batizaram de “AUTOMOBILE”, palavra italiana quase esquecida e que foi muito usada no Séc. XV.

1886 - Enfim Karl Benz encontra o combustível derivado do petróleo definitivo para o automóvel, a gasolina, apesar de Gottlieb Daimler também estar pesquisando o assunto simultaneamente, foi Benz que o conseguiu primeiro, colocando em exposição ao público em 1886 o 1° automóvel do mundo, o seu triciclo a motor.
 


O 1° automóvel do mundo,
o triciclo motorizado de Karl Benz.


1888 - A esposa de Karl Benz, Berta, se torna a 1° motorista do mundo ao dirigir a invenção do marido por 99 km entre Mannhein e Pforzhein na Alemanha.

1891 - Os franceses Panhard e Levassor constroem o 1° carro com motor na frente (os anteriores tinham o motor embaixo). Logo alemães e franceses auxiliam-se mutuamente para o desenvolvimento do automóvel, tanto que o 1° carro a rodar no Brasil em 1893 foi um carro francês, o Peugeot Type 3, com motor alemão da Daimler.
Simultaneamente os irmãos americanos Duryea em 1893 e Henry Ford em 1896 também trabalhavam para a evolução do automóvel, que embora sendo um projeto inovador, só foi cair no gosto da população no início do Séc. XX.


Panhard e Levassor.


O Primeiro Automóvel “Popular”

O primeiro carro como vimos nasceu na Alemanha, foi aperfeiçoado na França, mas já era fabricado nos Estados Unidos. O primeiro carro americano, o Duryea surgiu em 1893, E é nos Estados Unidos que teríamos o segundo grande passo para a popularização e evolução definitiva do automóvel, graças ao pioneirismo de Henry Ford.

Henry Ford - Nasceu nos Estados Unidos em 1863, desde cedo se interessou por mecânica, em 1896 fabricou seu primeiro automóvel, cinco anos depois bateu o recorde mundial de velocidade com seu modelo 999. Em 1903, funda sua empresa, a Ford Motors Company, já defendendo a idéia de que produzindo grande quantidade de automóveis de baixo preço e pouco luxo, obteria maior lucro. Assim, lançou o modelo "T", rústico e barato, que logo conseguiu um grande número de vendas, alcançando a marca de 16 milhões de unidades vendidas nos 25 anos em que foram produzidos, transformando Henry Ford no proprietário de um dos maiores impérios industriais e econômicos de sua época. O seu conceito inovador, de produção de veículos em série, logo se estendeu para outros segmentos industriais, fazendo surgir as linhas de montagem, e toda uma revolução nos métodos e conceitos de fabricação da época. Segundo dados biográficos, Ford era uma pessoa extremamente dominadora e contraditória, veja alguns exemplos: Pagava aos seus funcionários os maiores salários da época, ao mesmo tempo lutava contra a sindicalização dos mesmos. Era um pacifista, mas montou a maior fábrica de armamentos do mundo durante a guerra. Financiou tanto a construção de um moderno Hospital, como a publicação de um jornal especializado em artigos anti-semitas. Com todas as idéias progressistas, levou sua empresa a uma grande crise financeira, pois relutava em substituir o "velho modelo T" já bastante ultrapassado (só em 1927, reaparelhou a fábrica e lançou o modelo "A"). Faleceu em 1947, aos 83 anos de idade.


Henry Ford e o seu Modelo T,
pioneiro na produção em série.

1900 – Até meados da década de 1900 o design dos automóveis se assemelhava em muito com os das carruagens, sendo que os primeiros automóveis concebidos no final do Séc. XIX eram de fato, carruagens motorizadas.


Franklin - E Roadster 1905

Anos 10 e 20 - Com relação a design e inovações tecnológicas, pouca coisa mudou no automóvel durante as décadas de 10 e 20. O Ford Modelo T que começou a ser fabricado em 1908 foi o carro que pôs o mundo sobre rodas, sua linha de montagem revolucionou a manufatura em 1913 e vendeu mais de 15 milhões de unidades até 26 de maio de 1927. Henry Ford o chamava de “carro universal”, um veículo confiável e de baixo custo que podia ser mantido facilmente e rodava com sucesso pelas estradas precárias da época.


O Ford Modelo T

Anos 30 – Até meados da década de 30 pouca coisa havia mudado nos automóveis, a grande mudança com relação a inovações no design e estilo aconteceu somente em 1934 com o lançamento pela Chrysler do modelo Airflow, porém a tentativa da Chrysler não foi muito bem aceita pelo mercado sendo que em 1937 a empresa quase entra em falência por ter assumido tamanha ousadia. A aerodinâmica, principalmente nos EUA não era vista com bons olhos pelos grandes executivos, ainda fascinados pela simplicidade da produção em massa.
Com o lançamento deste modelo da Chrysler, o público pode apreciar o novo estilo que começava a despontar apenas em pequenos fabricantes independentes ou designers europeus mais descolados que já se aventuravam por este campo apenas com o intuito de exercitar o seu estilo.
Mas foi no ano de 1936 quando a Ford lança o novos Lincoln, que o mercado recebe de vez os tais novos conceitos, “a era dos Stramliners”, ou seja, um novo conceito estilístico e aerodinâmico.


Chrysler Airflow 1934, pioneiro da era dos Stramliners.


Ford 1937, “o início” da mudança estética dos automóveis nos anos 30.

Anos 40 - A década de 40 ficou marcada pela 2° Guerra Mundial, e neste período pouco se construiu ou inovou no mundo. Foi apenas no final da década, em 1947 que os fabricantes americanos começaram a apresentar os seus “novos” automóveis da Linha 1949, pois até então eles ainda eram fabricados baseados em modelos 1942 com apenas alguns pequenos retoques cosméticos.
Modelos como Ford Custom e Tudor e Chevrolet BelAir e Cadillacs , são grandes símbolos desta época que marcou o início de uma das décadas mais criativas da indústria automobilística do mundo, os anos 50.


Mercury 1946, com motor V-8, pouca mudança no visual.

 
Ford e Cadillac 1949, o começo de mais uma mudança de estilo dos automóveis.

 

Anos 50 - Os anos 50 começam com uma boa disputa entre as grandes montadoras para conquistar o mercado que estava ávido por novos carros após o período pós-guerra. Afinal foram os Estados Unidos quem mais ganharam com a 2° Guerra Mundial e o seu final, onde saíram incólumes e mais ricos do que nunca desta guerra, emergindo como a nação mais rica e poderosa do planeta após o conflito que devastou toda a Europa.


Cadilac

Buick, Oldsmobile, Crysler, Plymouth, Dodge entre outras marcas e claro Ford e Chevrolet lançam seus novos modelos sendo que um grande exemplo desta época é o Chevrolet Bel-Air que começou a ser comercializado em 1949 e foi um campeão de vendas em todo o mundo. Seu desenho lembrava um Cadilac um pouco menor e fazia com que o comprador de um carro popular, produzido aos milhares, tivesse a idéia que ele estava comprando um produto exclusivo, como eram os extremamente luxuosos e caros Cadilacs.
Os Fleetline, variação dos Bel-Air, que no Brasil foi apelidado de “sedanete”, eram equipados com a lendária transmissão “Power Glide” de duas marchas, que nada mais foi do que a primeira transmissão automática dos Estados Unidos.


Propaganda de época do Chevrolet 1951.

Enfim, os anos 50 são considerados a época do consumo, e onde o “American Way of Life” atingiu o seu apogeu, isso fez com que o público consumidor exigisse sempre novidades, tanto que o que era novo hoje já era considerado velho amanhã, fazendo com que os fabricantes revissem seus produtos sempre. A própria Linha Bel-Air, campeã de vendas, passou logo por mudanças para continuar a atrair o público sendo que em 1953-54 saíram os novos modelos que acabaram servindo de base para o outro sucesso de vendas, os Chevy 55,56 e 57.


Chevrolet Bel-Air 1957

Anos 60 - Foram marcados mais uma vez pela mudança estética que ocorreu aos automóveis no início da década, onde os carros passam a ter linhas mais limpas e retas tendo como exemplo os Chevrolet Impala 1962 que continuavam grandes, porém com linhas mais retas nem sua carroceria.


Chevrolet Impala 1962 e suas linhas retas.

No final da década surgiram também os grandes esportivos, Mustangs, Corvettes, Camaros, Pontiacs entre outros que fizeram a cabeça do público, principalmente entre os jovens da época.


O clássico Mustang 1967

Anos 70 – Com a crise do Petróleo em 1973 onde os preços do barril de petróleo atingiram valores altíssimos, chegando a aumentar até 400% em cinco meses (17/10/1973 – 18/3/1974) acarretando consequentemente o aumento da gasolina, e que provocou grande recessão nos Estados Unidos e na Europa desestabilizando a economia ao redor do mundo, fez com que todos revissem o gosto por “motorzões”, porém nos Estados Unidos no inicio da década ainda reinava absoluto os carros com motor V8. O Cadilac Eldorado 1973 é um bom exemplo desta época.


Cadilac Eldorado 1973

 

 

 


Conheça os Cursos On-Line
Portal do Conhecimento